faça login ou registe-se aqui
/temas/otoc/imgs/logoOccHeader.png

Formação com novos preços e membros com quotas reduzidas



O Conselho Diretivo da Ordem preparou para 2019 um plano de formação cada vez mais alargado, para corresponder às necessidades dos contabilistas certificados, e introduziu novas condições no acesso às sessões.

Assim, os valores de acesso às formações sofrem um ajustamento. Os membros que quiserem frequentar uma formação eventual, como a que acontece sobre o Orçamento do Estado para 2019, em janeiro e fevereiro, pagarão 32 euros, caso pretendam o manual em formato físico. Se preferirem que o manual seja facultado em formato digital, o custo da formação será reduzido 5 euros, perfazendo 27 euros.

Por sua vez, a formação em sala terá um custo de 48 euros para os contabilistas certificados que optarem pelo manual em papel e 43 euros para os membros que desejarem o manual em formato digital.

As formações à distância terão o preço único de 32 euros, sendo o manual disponibilizado para todos os participantes, em formato digital.

Finalmente, as reuniões livres das quartas-feiras continuarão a ser gratuitas, procurando-se manter uma permanente ligação com a atualidade contabilística, fiscal e legislativa.

Tornar o acesso à formação mais acessível para todos os membros e contribuir para a promoção e desenvolvimento da profissão são objetivos centrais desta medida.

No fundo, fica aqui bem expresso o desejo do Conselho Diretivo em estreitar o relacionamento entre a instituição e a sua razão de existir – os membros.

Mas as novidades não se ficam por aqui. No seguimento de uma promessa que agora foi passada à prática, apresentam-se os novos valores de quotas:

- Redução para 50 por cento das quotas para  membros com mais de 75 anos, que não exerçam ativamente a profissão;
- Isenção total dos membros acima dos 80 anos que não exerçam ativamente a profissão; 
- Para os novos membros, no primeiro ano de inscrição, redução de 50 por cento no valor das quotas mensais.

Chamar os mais jovens para a profissão e reconhecer o trabalho de profissionais que fizeram parte de um passado e conferiram estrutura à instituição, são os propósitos que se pretendem atingir com esta última medida.

As alterações dos valores das quotas abrangem cerca de 1 100 membros. Queríamos ter ido mais longe. Certamente. Mas a prudência exigível a uma diária e rigorosa gestão, devido aos constrangimentos orçamentais, não o permite, pelo menos para já. 

Caso tenha alguma questão que entenda pertinente, coloque as suas dúvidas para: geral@occ.pt
 
Com os melhores cumprimentos

Lisboa, 27 de dezembro de 2018

A Bastonária

Paula Franco







Partilhe esta notícia



Voltar
OCC
© 2019. Todos os direitos reservados